Nilo recebe apoio de deputados de governo e oposição; parlamentares acusam ‘excesso’.

Para os deputados estaduais que foram à sessão de quarta-feira (13.09.) da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA), a operação Opinião, deflagrada pela Polícia Federal em Salvador, cometeu “excessos”. A ação apura se o ex-presidente da AL-BA é o verdadeiro dono da empresa Bahia Pesquisa e Estatística LTDA (Babesp), que realiza pesquisas eleitorais – haveria evidências de que a companhia foi utilizada para receber recursos de Caixa 2. Nesta tarde, diversos deputados das bancadas de governo e oposição fizeram questão de se posicionarem a favor do colega do legislativo. Segundo o líder dos governistas, Zé Neto (PT), houve um exagero na forma como a operação foi conduzida, o que reflete o momento que o país vive. “Eu dizia outro dia: infelizmente esse é um momento ruim para todos os partidos. Tem que se investigar? Tem. Mas os excessos acabam fazendo com que a credibilidade… Se vai ser notificado, se vai fazer busca e apreensão, pode fazer sem tanto aparato, sem tanto escândalo, mais parece penalização antecipada. […] Os excessos acabam criando essas situações que não são convenientes, não só pra você, mas para todos e para a Casa democrática”, lamentou. Já o líder da oposição, Leur Lomanto Júnior (PMDB) garantiu que Nilo tem a confiança de seus amigos e seus pares. “Fiz questão de ir ao seu gabinete e tenho certeza de que ao fim de tudo o senhor vai sair maior. Fique tranquilo. Sei que vossa excelência está com a razão”, defendeu. Joseildo Ramos (PT) citou que há uma “espetacularização” da mídia e da própria Justiça em casos que envolvem políticos, e comparou o país com os Estados Unidos, onde as pessoas não conheceriam os membros da Suprema Corte porque os ministros “andam pouco na mídia”. Já Adolfo Viana (PSDB) frisou que nesse momento Nilo “não está condenado, não é réu”. “Tenho certeza de que vai provar a sua inocência. Conte com nossa solidariedade”, completou.

Deputado Marcelo Nilo recebe apoios dos deputados. (Foto Divulgação).

 

Deixe uma resposta