Onda de calor se intensifica na Europa

A onda de calor que castiga há semanas a Europa levou no sábado (04.08.) a temperaturas recordes em cidades portuguesas, causou três mortes na Espanha e chegou a derreter o asfalto na Holanda. Em Portugal, a temperatura foi a mais alta registrada na história em 26 estações. Em Lisboa, foram 44 graus. Em Alvega, no distrito de Santarám, os termômetros chegaram a marcar 46,8ºC. O atual recorde europeu foi registrado em 1977, em Atenas, quando os termômetros alcançaram 48°C. O recorde na Espanha é de 47,3 graus, em Portugal, 47,4. Em Lisboa, as autoridades fecharam parques e alertaram as pessoas a evitarem atividades ao ar livre durante o auge do calor. Refúgios para desabrigados foram abertos mais cedo, para que moradores de rua pudessem busca abrigo do calor.  Na Espanha, já ocorreram três mortes: em Murcia (sudeste) um homem de 78 anos morreu enquanto realizava trabalhos agrícolas, vítima de insolação, e outro trabalhador, de 48 anos, também foi vítima das altas temperaturas. Em Barcelona (nordeste) um homem de meia idade, aparentemente sem-teto, morreu. Além disso, outro homem de 55 anos foi hospitalizado hoje em estado grave, após sofrer insolação na região de Murcia. Na França, mais da metade do país está em alerta laranja, e as autoridades recomendaram evitar a exposição ao sol nos horários mais quentes do dia. A Alemanha, cujas máximas diurnas chegaram a 38°, também está sofrendo com o excesso de calor, além da estiagem, que já levou a perdas bilionárias na agricultura. Em julho praticamente não choveu no oeste, norte e leste do país.Mulher se refresca em fonte em Lisboa, Portugal, no sábado (4) (Foto: Rafael Marchante/ Reuters).

Deixe uma resposta