Mais de 120 agressões a jornalistas são registradas durante período eleitoral

Mais de 120 agressões a jornalistas e comunicadores em contextos político partidário e eleitoral foram registradas este ano. Os dados são da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), e incluem as agressões tanto físicas quanto em meios digitais. Conforme a Abraji, foram registradas 64 ocorrências de assédio em meios digitais contra jornalistas no contexto eleitoral, além de 59 vítimas de atentados físicos. “Um país que não compreende a diferença entre crítica ao trabalho jornalístico e violência contra profissionais da imprensa coloca a democracia e a si próprio em grave risco”, disse a Abraji em nota de repúdio. De acordo com a Agência Brasil, um dos casos mais recentes, divulgado no portal da Associação, envolve uma repórter da Rádio Bandeirantes, agredida verbalmente e com uma cabeçada por um manifestante em ato de apoio ao candidato à Presidência pelo PSL, Jair Bolsonaro, na Avenida Paulista, em São Paulo. Os ataques acontecem também na internet. Repórteres têm os perfil inundados por xingamentos e até mesmo por ameaças. “Ofensas, assédio e ameaças a jornalistas com o objetivo de silenciá-los são sintomas de desprezo pela democracia. É urgente e necessário que os candidatos no pleito atual se manifestem publicamente contra tais ataques e os desencorajem. O silêncio diante da violência praticada por seus apoiadores configura conivência com ataques à liberdade de expressão”, argumenta a Abraji.         Jornalistas são agredidos durante período eleitoral no Brasil. (Foto Produção).

Deixe uma resposta