A SEMANA

Estamos no penúltimo mês do ano de 2018-Novembro, contagem regressiva para o final do ano, já obrigando a fazermos uma avaliação e uma retrospectiva de tudo que aconteceu de positivo e negativo no Brasil, Bahia e Jequié. A nível de Brasil as eleições para presidente da republica foi sem sombras de duvidas o grande acontecimento deste ano, claro fora outros acontecimentos como este agora em Niterói que tirou a vida de várias pessoas (15), além das mortes no estado do Rio de Janeiro, fatos que chamam atenção do Mundo como da vereadora Marielle Franco  morta a tiros dentro de um carro na Rua Joaquim Palhares, no bairro do Estácio, na Região Central do Rio. São muitos os acontecimentos, mas a escolha de um novo presidente pela vontade da maioria dos eleitores brasileiros chama atenção porque no inicio da campanha o candidato do PSL Jair Bolsonaro não aparecia como favorito. Aos poucos ele foi conquistando o seu espaço com suas declarações que inclusive contrariava muito os petistas, que tiveram seus desejos cortados pela justiça no momento em que o Lula (ficha suja), não pode ser candidato. O pior que ele (Lula) era favorito e ganharia no primeiro turno, mas não quis o destino que o Brasil corresse este risco grande, essa foi, e será sempre minha opinião porque tenho motivos suficientes para contestar a inocência dele quando diz não saber de nada que estava acontecendo no país com tanta corrupção que já foram provadas. Agora nos resta aguardar a transição que esta sendo feita do falido governo Michell Temer que foi outra grande decepção também envolvidos com muitas falcatruas a exemplo do caso Geddel Vieira Lima e tantos outros, para o futuro governo que assume a partir de 1º de janeiro de 2019. Na Bahia o governador Rui Costa continua em férias na sua viagem pela Europa, mandando os “torpedos” de lá, no âmbito da politica, agora com a sucessão do presidente da Assembleia Legislativa da Bahia, e alguns casos de membros dos chamados partidos “nanicos” que querem espaços dentro da administração estadual, vamos ver o que vai acontecer. Em Jequié o clima volta a esquentar as vésperas de completar o seu segundo ano de administração (50%) quando o prefeito Sergio da Gameleira é contestado sobre os gastos dos mais de 150 milhões de reais que recebeu no inicio de sua administração da precatórias. Entendo eu na minha pobre ignorância, que a transparência com recursos públicos devam ser mostrados para a população, quem exerce um cargo importante como secretário de finanças que se diz honesto deveria todos os meses publicar em lugares públicos, na imprensa escrita e falada quanto esta rendendo a aplicação dos 150 milhões de reais, o que foi retirado e para que, não deixando duvidas como agora com vereadores cobrando uma prestação de contas que já vai completar um mês que foi pedido e até agora nada. As saídas de secretários municipais da administração do prefeito de Jequié Sergio da Gameleira, na sua maioria foram benéficas, principalmente aquelas primeiras, quando existiam duvidas quanto aos ocupantes dos cargos, isso era falado nos bastidores da politica local. Agora as saídas do secretário de saúde Hassan Iossef e da agricultura Adilson Miranda todos sabem que foi questões politicas já que o deputado federal Antonio Brito sabendo do desgaste do prefeito, “pulou fora do barco” como ele sempre faz. Vou fazer aqui uma colocação que já aconteceu na politica da Bahia,  pode acontecer em Jequié. Se continuarem com muitas brigas com divisões politicas, vão ressuscitar Roberto Britto para 2020, preste atenção o que estou escrevendo hoje. Tenham todos uma ótima semana e muita saúde…

Deixe uma resposta