Radio Bahiana de Jequié primeira emissora da região.

A RÁDIO Bahiana de Jequié foi uma das primeiras emissoras em Amplitude Modulada do interior da Bahia. Fundada em 21 de setembro de 1954, reinou absoluta no dial AM até o ano de 1986, em que chegou a primeira emissora em Frequência Modulada de Jequié, a
Cidade Sol FM. Como pioneira na comunicação eletrônica na microrregião de Jequié, a Rádio Bahiana produziu radioteatro, fez transmissões externas ao vivo, programas de auditório, musicais, jornalísticos e de serviço. O Festival dos Brotos era realizado no auditório do Cine Jequié nas tardes de domingo. Mesclava apresentação de novos talentos e de artistas consagrados em âmbito regional e nacional. A Hora do Fazendeiro, apresentado de segunda a sexta-feira das 13h00 às 14h00, dedicava-se a enviar mensagens de pessoas da zona urbana às da zona rural de Jequié e de outros municípios onde o sinal da rádio era captado. Numa época de estradas ruins, em que não existia internet e telefone era coisa raríssima, o programa foi de grande utilidade e audiência. No campo do rádiojornalismo marcaram época programas como O Repórter Esclarece, O Grande Jornal Falado e o Plantão Informativo. No quesito coluna social destaque para as crônicas do professor Luiz Cotrim. Levadas ao ar de domingo a domingo às 07h00 da manhã, relatavam os acontecimentos considerados significativos da alta sociedade jequieense. Durante algum tempo a Rádio Bahiana transmitiu eventos políticos como comícios, o que, no início dos anos 1960, não era proibido pela Lei Eleitoral. Jornalismo e entretenimento eram levados ao ar, num período de poucos recursos técnicos e financeiros. Jornalistas e radialistas enfrentaram a censura imposta aos meios de comunicação, a partir do Golpe de 1964 e que se agravou em 1968 com a edição do Ato Institucional no. 5. A Rádio Bahiana de Jequié foi o principal veículo de comunicação usado pela população da região para a obtenção de informações regionais durante a segunda metade do Século XX. Transmitiu e esteve presente em momentos marcantes da vida social e política de Jequié e região. Em 2006 a emissora encerrou um ciclo histórico na área da comunicação em Jequié e na Bahia. Depois de uma longa crise financeira e estrutural foi vendida para um grupo empresarial de Feira de Santana e passou a ser chamada de Rádio Povo AM. Com a adoção de um novo nome considera-se que houve a perda de um referencial histórico de Jequié. Hoje os momentos de glória vividos pela ZYH – 472 estão na memória de pessoas que nela trabalharam e em pouquíssimos documentos escritos e sonoros. (Por jornalista Judson Almeida).                      Prédio da Radio Bahiana de Jequié quando foi inaugurada. (Foto Arquivo).

 

Deixe uma resposta