Bares e restaurantes: 35% já fecharam unidades definitivamente no Brasil

Perto de completar 100 dias de portas fechadas, o setor de bares e restaurantes enxerga com preocupação o novo adiamento de reabertura feito pelo governo municipal de São Paulo. O último levantamento realizado pela ANR (Associação Nacional dos Restaurantes) em parceria com a Galunion aponta que 35% dos bares e restaurantes com mais de uma unidade já fecharam lojas permanentemente por conta do isolamento social para deter a pandemia do coronavírus. Outros 15% dos estabelecimentos afirmaram que não conseguirão manter os seus negócios após a pandemia. A pesquisa foi feita entre os dias 5 e 17 de junho. Na sexta-feira (26) o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), protelou a reabertura do segmento para 3 de julho. A previsão inicial era de que os bares, restaurantes e salões de beleza já poderiam funcionar nesta segunda-feira (29), mas Covas afirmou que, por recomendação do Centro de Contingência, as mudanças só aconteceriam se a capital permanecesse nessa fase por uma semana. Segundo o presidente da ANR, Cristiano Melles, o governo é descuidado com o setor, que já demitiu 1,3 milhão de pessoas desde o começo da pandemia – 600 mil apenas em São Paulo.

EM JEQUIÉ:

Em Jequié a situação não é muito diferente com os restaurantes e bares fechados, sem nenhuma previsão de quando poderá retornar as atividades normais. A informação é de que 90% do setor já dispensou funcionários e alguns não deverão mais retornar suas atividades, o que representa um prejuízo grande no setor econômico. O município de Jequié sempre teve nos restaurantes e bares opção de laser e passa tempo para a população.Os bares fechados indicam desempregos para atendentes e garçons. (Foto: Reprodução/Pixabay).

Deixe uma resposta