Um dia antes de cumprir o novo decreto de fechamento, comércio de Feira de Santana fica lotado

O comércio de Feira de Santana ficou lotado de pessoas na segunda-feira (06.07.), um dia antes do cumprimento do novo decreto de fechamento determinado no domingo(05.07.), pelo prefeito Colbert Martins da Silva. Além de estabelecimentos comerciais, foi possível verificar longas filas em bancos, casas lotéricas e grande congestionamento do trânsito.

Filas enormes em frente as agências bancárias de Feira.(Foto: Paulo José/Acorda Cidade)

A reportagem do Acorda Cidade foi conferir a movimentação e registrou várias pessoas que aproveitaram para fazer compras e pegar contas, antes do comércio ser fechado novamente. A medida busca conter o avanço da covid-19 na cidade há quem concorde e também quem discorde que isso irá reduzir o número de infectados. Andréia Silva Santana avaliou que o fechamento do comércio é uma medida necessária para evitar o aumento de casos de pessoas infectadas pelo coronavírus. Na opinião dela, apesar de ser uma questão delicada, que prejudica muitos trabalhadores, comerciantes e empresários, se o comércio estiver fechado, diminui a concentração de pessoas nas ruas e esse fator é positivo na luta contra a doença.

 Transito em Feira de Santana com constantes congestionamentos.(Foto: Paulo José/Acorda Cidade)

“É uma situação caótica para todo mundo. Ontem eu ouvi o prefeito falando que ia fechar e resolvi vir hoje fazer um pagamento, só viria à rua na quarta-feira, mas diante do decreto me antecipei. Infelizmente é difícil para os empresários e comerciantes, mas é uma decisão que é necessária para o bem estar de todos nós”, pontuou. Shirlene Sena Souza comentou que o movimento de pessoas no centro da cidade estava muito grande hoje e frisou que isso ocorre tem outros dias e também nos bairros. Ela observou que é preciso que as pessoas tomem mais cuidado para evitar o avanço da covid-19.

O movimento aumentou por volta das 12 horas com grandes quantidades de carros motos. (Foto: Paulo José/Acorda Cidade)

“Eu acho que se o comércio tivesse fechado, o povo não estaria tão contaminado assim. O excesso de gente na rua está demais, em parte é do comércio a responsabilidade. E povo também precisa ter mais cuidado nos bairros que estão lotados. Hoje eu vim fazer uma retirada de um móvel que tive dificuldade com a entrega me assustei com o movimento de gente”, afirmou. O gerente de loja Genivaldo de Jesus Santos relatou ao Acorda Cidade que o fechamento do comércio não é o suficiente para barrar a contaminação pelo coronavírus, mas ajuda a diminuir os casos. Ele comentou que muitas pessoas não respeitam nenhum tipo de determinação e saem às ruas de forma inconsequente, prejudicando quem fica em casa para se preservar. “Tem gente jogando bola, gente na praça do bairro e nós que ficamos em casa pagamos por aqueles que estão nas ruas. Eu sei que fechar o comércio não é o suficiente, mas vamos observar se vai diminuir. Percebo que os números aumentam mesmo com o comércio fechado”, declarou. Genivado informou que diante da atual situação não está conseguindo pagar nem aos funcionários em as despesas da loja.

Deixe uma resposta