A SEMANA

Chegamos ao oitavo mês do ano de 2020-Agosto, a contagem regressiva para o final do ano, se aproxima,  passados estes últimos meses com certeza para todos nós brasileiros para serem esquecidos. A pandemia da nova coronavírus que continua afetando milhares de pessoas, pior com óbitos, sem uma solução imediata por parte dos cientistas, médicos e técnicos de saúde. Com isso muitas decisões no setor econômico, educação na vida cotidiana dos brasileiros continuam parados e sem saber até quando. O presidente da republica Jair Bolsonaro continua “forçando” a barra para que tudo volte ao normal, querendo dar uma conotação de normalidade, quando ele e agora a esposa contraíram o vírus e tiveram que ficar em quarentena. Na discussão politica ele (presidente) continua jogando para os governadores e prefeitos a culpa por esta grande parte da economia do Brasil parada. Nada ficou comprovado até agora se o presidente Bolsonaro teria razão, como também medidas tomadas por alguns governadores a exemplo de Rui Costa na Bahia fechando tudo, decretando toque de recolher em grande parte dos municípios, como se fosse a solução e não esta sendo porque os índices de infectados continuam. Fechamos o mês de julho sem solução para os principais problemas tanto no estado como nos municípios, temos Jequié como exemplo onde a situação é grave com o aumento de pessoas desempregadas,  outros infectadas com a coronavírus, número de vagas na UTI do principal hospital da região o Prado Valadares ocupados. E no campo politico uma visão não muito boa para as eleições deste ano, porque a medida que a data de realização (15 de novembro), se aproxima, a coronavírus continua o que vai deixar muita desconfiança entre os eleitores se vai correr o risco de ir as secções para votar. Correr o risco de ter o atual prefeito por alguns meses á frente da Prefeitura seria um grande castigo para Jequié. A convocação dele para depor na comissão processante na Câmara Municipal de Jequié ainda não aconteceu, ele esta criando dificuldades, algumas testemunhas já se recusaram em comparecer, os secretários municipais que foram convocados para prestar esclarecimentos também não aconteceu e o barco continua afundando com todo o povo dentro. É muito castigo para um município só, que já enfrentava sérias dificuldades ao longo dos anos, perdendo espaços para outros a exemplo de Vitoria da Conquista, que a menos de 55 anos conseguiu passar Jequié no desenvolvimento. A comparação já era feita pelo Sr. Waldomiro Borges, que foi prefeito de Jequié no inicio dos ano 70 ele dizia: “Jequié tinha próximo a 90 mil habitantes, naquela época, Vitoria da Conquista tinha a metade 45 mil habitantes. Hoje, (ele disse em 2016), Jequié tem 162 mil habitantes,  Vitoria da Conquista já passa dos 300 mil habitantes”-afirmou. Uma prova de que ficamos parados no tempo e o municipio do Sudoeste cresceu, aproveitou todas as oportunidades, ganhou a sede da UESB, investiu na urbanização ao lado da BR-116, ganhou a sede da televisão regional, os políticos e o povo souberam escolher seus dirigentes. Estamos fechando mais um ciclo de desgovernos em Jequié, com o prefeito Sergio da Gameleira fechando o seu mandato como o pior prefeito da história, em novembro os eleitores terão oportunidade de escolher um novo prefeito, esperamos que apareça um nome que venha preencher as necessidades de Jequié porque não vai ser apenas um prefeito mais um salvador da pátria. CONTAGEM REGRESSIVA: Faltam 151 dias para o prefeito de Jequié Sergio da Gameleira encerrar seu mandato. Tenham todos uma ótima semana, e muita saúde…

Deixe uma resposta